17 de abril de 2017 - 10:40

Defesa de Dilma vai contestar impeachment

Advogados vão usar entrevista de Temer e sustentar tese de desvio de finalidade
Por Fernando Souza • Atualizado há 1 ano

A defesa da ex-presidente Dilma, vai protocolar hoje, no STF, uma petição com uma entrevista do presidente Michel Temer à TV Bandeirantes. Os advogados querem usar o vídeo como prova para contestar o impeachment. Eles vão afirmar que a fala de Michel Temer mostra que o impeachment teve desvio de finalidade.

Dilma foi afastada definitivamente da Presidência da República no dia 31 de agosto de 2016, por 61 votos a 20 no Senado.

Na entrevista, Temer cita uma conversa com Eduardo Cunha – na época, presidente da Câmara dos Deputados e alvo de processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Casa. A Câmara decidiu pela continuidade do processo de cassação contra o peemedebista em dezembro de 2015. Cunha decidiu então aceitar o pedido de impeachment contra Dilma, feito pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaina Paschoal. O peemedebista disse à época que a aceitação do pedido tinha “natureza técnica”.

Na entrevista à rede Bandeirantes, Michel Temer afirmou que viu os noticiários dizendo que o presidente do PT e os três membros do PT se insurgiram e votariam contra Cunha e que  em seguida, recebeu uma ligação de Eduardo Cunha, comunicando que chamaria a imprensa para anunciar que daria início ao processo de impedimento.

Durante a entrevista, o presidente disse que contou o episódio para revelar que Cunha não iniciou o processo de impedimento de Dilma por sua causa. E que “jamais militou pra derrubar a senhora presidente da República”.

 

Ao vivo