17 de fevereiro de 2021 - 17:54

Prefeitura adia anúncio de medidas restritivas contra a Covid-19

Decreto em vigor foi prorrogado até sexta-feira, (19).
Por Victor Fernandes • Atualizado há 2 semanas

O Prefeito Odelmo Leão fez uma coletiva de imprensa ontem (17), ao lado do Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral e do Secretário Municipal de Saúde, Gladstone Rodrigues, para explicar a situação da pandemia de coronavírus em Uberlândia.

O Prefeito decidiu prorrogar as regras em vigência até a próxima sexta-feira (17). Nesse período, o Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19 vai apresentar medidas mais restritivas para conter a doença.

Odelmo Leão explicou que a situação de Uberlândia pode ser classificada na onda vermelha de risco para a doença, o que exige novas deliberações. O Prefeito, no entanto, não deu detalhes sobre que medidas vai tomar neste momento.

Disponibilidade de Leitos

O Secretário Municipal de Saúde, Dr. Gladstone Rodrigues, explicou que a situação no momento é grave e que a demanda por leitos de UTI já está acima da capacidade da rede pública nesse momento.

O Dr. Gladstone também ponderou que os indicadores da última semana colocam a cidade em situação de emergência, sendo necessário adotar medidas para restringir a propagação do vírus.

Decreto anterior

Há duas semanas, a Prefeitura havia anunciado restrições no comércio da cidade. Na prática, as atividades não-essenciais tiveram funcionamento limitado até às 18h. A venda de bebidas alcóolicas também entrou na mira do município – os produtos só poderiam ser comercializados em dias úteis até às 18h. A venda no fim de semana foi proibida.

Alta nas mortes

As regras, no entanto, não foram capazes de conter o avanço da contaminação e de mortes por Covid-19. Enquanto no período de 03/02 à 16/02 Uberlândia registrou 75 mortes, sendo 14 nos últimos dois dias, o período imediatamente anterior teve índice menor, de 51 vítimas da doença.

O número de casos confirmados também subiu. Foram mais de 5.800 confirmações nas últimas duas semanas, enquanto que no período de 20/01 a 02/02, foram pouco mais de 5.600 testes positivos.

A comparação dos dados mostra que o vírus está se espalhando mais rápido e de forma mais letal.

Ao vivo