10 de janeiro de 2020 - 10:05

Justiça concede liberdade aos vereadores Márcio Nobre, Isac Cruz e Vilmar Rezende

O STJ também suspendeu os mandatos dos três parlamentares e os proibiu de entrar e frequentar o prédio da Câmara.
Por Flávio Max • Atualizado há 3 semanas

Foto: Divulgação

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu na noite de ontem (09) uma liminar dando liberdade aos vereadores de Uberlândia, Márcio Nobre (PSD), Isac Cruz (Republicanos) e Vilmar Resende (PSB).

A decisão assinada pelo presidente do STJ, ministro João Otávio de Noronha, também suspendeu os mandatos dos três parlamentares e os proibiu de entrar e frequentar o prédio da Câmara ou conversar com funcionários do legislativo. Os vereadores também não poderão sair de casa à noite.

O Ministério Público Estadual também enviou um ofício à Câmara de Uberlândia onde constam todas as informações sobre a situação de cada vereador investigado pelas operações “Má Impressão” e “Guardião”.

O documento assinado pelo promotor do Gaeco, Adriano Bozzola, é uma resposta a um pedido feito pela Câmara e aponta que atualmente 14 vereadores cumprem prisão preventiva e estão com os mandatos automaticamente suspensos, um cumpre prisão domiciliar e também está suspenso do mandato, dois estão em liberdade mas com os mandatos suspensos e outros cinco fizeram acordo e renunciaram .

Nove parlamentares ainda estão com os mandatos ativos, entre eles a vereadora Jussara Matsuda (PSB) que chegou a ser presa, depois cumpriu prisão domiciliar e não teve a prisão prorrogada pois apresentou documentos que estão sendo analisados pelo Ministério Público. Entre os documentos estão comprovações do dinheiro (cerca de R$ 1 milhão) que foi encontrado pela polícia na casa da vereadora no dia da operação.

O presidente interino da casa, vereador Antônio Carrijo (PSDB), disse que recebeu o documento da procuradoria mas precisa de mais informações para decidir sobre o pagamento dos salários dos vereadores e também a situação envolvendo os assessores deles.

Ao vivo