30 de janeiro de 2020 - 13:24

Suplentes de vereador em Uberlândia terão que usar tornozeleira eletrônica

Sargento Araújo e Murilo Ferreira estão impedidos de assumir mandatos.
Por Victor Fernandes e Danilo Caixeta • Atualizado há 3 semanas

Sargento Araújo (esq.) e Murilo Ferreira poderiam tomar posse na próxima semana na Câmara. (Foto: Reprodução)

A justiça aceitou os pedidos feitos pelo Ministério Público Estadual contra os suplentes de vereador Murilo Ferreira e Sargento Araújo. Os dois estão proibidos de assumir cargos por noventa dias e também terão que usar a tornozeleira eletrônica.

A justiça também proibiu que eles conversem com funcionários do legislativo ou com investigados pela operação “Má Impressão” do Gaeco e também não podem entrar nem frequentar o prédio da Câmara Municipal.

As decisões assinadas pelo juiz Felipe Ivair da 3ª Vara criminal de Uberlândia são em caráter liminar e ainda cabe recurso. Murilo e Sargento Araújo foram denunciados por peculato, uso de documento falso e lavagem de dinheiro.

Os dois são suspeitos de desviar dinheiro da verba indenizatória nos meses de Fevereiro e Março de 2018 quando ocuparam os cargos de vereador em substituição aos titulares das vagas.

No caso de Murilo, o desvio, segundo a promotoria, teria ocorrido quando ele substituiu Flávia Carvalho que estava de licença. Já Sargento Araújo ocupou a vaga de Juliano Modesto que também estava de licença.

Os casos foram delatados pelo dono de uma gráfica que contou a promotoria que emitiu notas fiscais frias aos parlamentares para lavar o dinheiro destinado ao pagamento da impressão de panfletos publicitários.

Por telefone, Sargento Araújo disse que vai recorrer da decisão e vai comprovar a inocência na justiça. Murilo Ferreira não atendeu as ligações.

Ao vivo