15 de setembro de 2020 - 11:06

PGR denuncia Witzel e mais 11 por organização criminosa

A Procuradoria pede também o pagamento de indenização mínima de R$ 100 milhões em danos materiais e coletivos e a perda do cargo público do governador. 
Por Flávio Max • Atualizado há 1 semana

Reprodução

A Procuradoria-Geral da República (PGR) ofereceu uma nova denúncia contra o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). O governador, a mulher dele, Helena Witzel, o presidente do PSC, pastor Everaldo, e outras 9 pessoas foram denunciadas por organização criminosa.

A denúncia foi oferecida ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) na noite de ontem (14). Witzel está afastado do cargo desde 28 de agosto.

O grupo teria atuado da mesma maneira que as organizações criminosas que envolveram os últimos 2 ex-governadores fluminenses, Luiz Fernando Pezão e Sérgio Cabral, ambos do MDB.

A PGR diz que as atividades do grupo começaram em 2017, com a entrada de Witzel para concorrer como governador. Na época, ele ainda era juiz federal e recebeu cerca de R$ 1 milhão, conforme os procuradores. O governador é apontado como chefe da organização.

Além de pedir a condenação dos investigados, a subprocuradora-geral Lindôra Araújo quer o pagamento de indenização mínima de R$ 100 milhões em danos materiais e coletivos e a perda do cargo público do governador.

Ao vivo