07 de outubro de 2019 - 09:19

Bolsonaro discute com Maia fim da estabilidade dos servidores públicos

O governo planeja também mudanças na regra de ouro. Hoje (7), presidente negou a informação publicada pelo jornal Correio Braziliense.
Por Flávio Max Da Silva • Atualizado há 2 semanas

Divulgação

*atualizado às 11:51h para acréscimo de informação.

O governo planeja encaminhar ao Congresso Nacional, nos próximos dias, o projeto da reforma administrativa, que pode prever o fim da estabilidade para servidores públicos. A informação foi publicada pelo jornal Correio Braziliense.

O Executivo planeja também mudanças na regra de ouro, mecanismo que proíbe o governo de fazer dívidas para pagar despesas correntes, como salários, contas de luz e outros custeios da máquina pública.

O acerto teria sido feito ontem (06), entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente Jair Bolsonaro, em um encontro fora da agenda no Palácio da Alvorada.

Segundo Maia, o novo texto da regra de ouro terá “gatilhos para controlar as despesas obrigatórias do governo”. Ele considera “prioridade” o envio de propostas que possam controlar gastos.

“PATIFARIA”

Hoje (7) pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro desmentiu a notícia em rápida declaração a jornalistas, na saída do Palácio do Planalto. Para Bolsonaro, a imprensa trata o assunto com “covardia e patifaria”. O presidente ressaltou que “nunca falou sobre esse assunto” e disse que querem “jogar o servidor contra” seu governo. Jair Bolsonaro citou ainda uma reportagem do jornal Folha de São Paulo publicada no sábado (5), que levantou suspeitas sobre ilegalidades no financiamento de campanha de Bolsonaro e do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, ambos do PSL. Veja a declaração completa do presidente aqui.

Ao vivo