14 de maio de 2019 - 11:31

Em delação, dono da Gol menciona repasse a Rodrigo Maia

No depoimento, Henrique Constantino relatou pagamentos de propina a políticos para obter recursos da Caixa Econômica Federal.
Por Flávio Max • Atualizado há 1 semana

Foto: Zanone Fraissat

A justiça de Brasília, homologou um acordo de delação premiada assinado entre o empresário Henrique Constantino, sócio da companhia aérea Gol, e o Ministério Público Federal (MPF)

Entre os citados por Constantino na delação, estão o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) e o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB-BA).

Em um dos dez anexos da delação que tratam de fatos supostamente criminosos, foram relatados pagamentos de propina a operadores e políticos do MDB para obter recursos da Caixa Econômica Federal e do fundo de investimentos do FGTS.

Os detalhes do suposto benefício financeiro para esses políticos estão sob sigilo.

Rodrigo Maia, que está em Nova York, afirmou que não conhece nem nunca esteve com o delator.

Ao vivo