13 de janeiro de 2020 - 11:05

MEC estuda descartar quase 3 milhões de livros didáticos

Os exemplares, comprados em gestões anteriores, são considerados sem utilidade. 
Por Flávio Max • Atualizado há 7 meses

Reprodução

O Ministério da Educação quer descartar ao menos 3 milhões de livros didáticos que nunca foram entregues a alunos de escolas públicas. Os exemplares, comprados em gestões anteriores, são considerados sem utilidade.

São obras do ensino fundamental ao médio de todas as disciplinas e que fazem parte de uma reserva técnica feita para evitar que os alunos ficassem sem livros caso novas turmas ou colégios fossem inaugurados.

De acordo com jornal o Estado de São Paulo, o gasto estimado com os livros foi de mais de R$ 20 milhões, a média do valor por unidade é de R$ 7. O estoque, porém, pode ser até 3 vezes maior. O imóvel onde estão os livros é alugado dos Correios e fica localizado em Cajamar, na Grande São Paulo.

Ao vivo