29 de novembro de 2021 - 10:31

Inflação do aluguel desacelera em novembro, mas acumula alta de 17,89% em 12 meses

Para evitar o peso no bolso, especialistas recomendam a renegociação com o proprietário do imóvel.
Por Flávio Max • Atualizado há 7 meses

Reprodução

O Índice Geral de Preços Mercado, o IGP-M, utilizado para corrigir a maior parte dos contratos de aluguel no Brasil, registrou uma leve alta em novembro. Com a variação, as famílias que vivem em imóveis com contratos que vencem no próximo mês terão que desembolsar um valor 17,89% maior para seguir na mesma moradia no próximo ano.

Neste mês, o indicador responsável pelo reajuste da maioria dos contratos de aluguel vigentes no Brasil perdeu força, após subir 0,64% em outubro, agora registrou leve alta de 0,02%. Com a variação, divulgada hoje (29) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o índice acumula alta de 16,77% em 2021 e ganho de 17,89% nos últimos 12 meses.

Significa dizer que os inquilinos que pagam atualmente um aluguel de R$ 1.500 terão que desembolsar R$1.768 para continuar com as chaves do mesmo imóvel nos próximos meses. Para evitar o peso no bolso, especialistas recomendam a renegociação com o proprietário da residência.

Ao vivo