27 de maio de 2020 - 09:59

CGU diz que já identificou mais de 160 mil fraudes em auxílio emergencial

Entre as pessoas que receberam o benefício irregularmente, estão presidiários, donos de embarcações e pessoas que têm domicílio fiscal no exterior.
Por Flávio Max • Atualizado há 1 mês

Foto: Lucas Tavares

O ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, disse ontem que o órgão identificou um número superior a 160 mil casos de fraudes nos cadastros para receber o auxílio emergencial de R$ 600.

Os números ainda não estão consolidados, mas ele afirmou, por exemplo, que há 74 mil sócios de empresas com empregados cadastrados e que receberam a ajuda do governo.

Foram também identificadas 86 mil pessoas que doaram, como pessoa física, mais de R$ 10 mil a campanhas políticas. Sem informar números, o ministro mencionou outros beneficiários que são presidiários, proprietários de veículos que custam acima de R$ 60 mil, donos de embarcações e pessoas que têm domicílio fiscal no exterior.

Ontem, o governo autorizou a liberação de mais R$ 28 bilhões para bancar o auxílio emergencial. Com o novo repasse, o custo do programa já alcança R$ 152,5 bilhões.

Ao vivo