26 de julho de 2017 - 18:20

UFU demite médicos acusados em esquema de corrupção

Eles foram denunciados em 2012 por recebimento de propina
Por Lorena Silva • Atualizado há 3 meses

A Universidade Federal de Uberlândia demitiu dois médicos acusados pelo Ministério Público Federal de cobrar propina em procedimentos cirúrgicos dentro do hospital de clínicas da instituição.

A UFU confirmou hoje(26) que foi aplicada a penalidade de demissão aos médicos e professores do curso de medicina, Elias Esber Kanaan e Petronio Rangel Salvador Júnior. Eles foram denunciados em 2012 por, supostamente, terem implantado, marca-passos em pacientes do hospital de clínicas sem necessidade, em troca de propinas que chegavam a R$ 48 mil.

Isso aconteceu entre 2003 e 2008. Eles teriam adquirido desfibriladores e realizado implantes de marca-passos pelo SUS em números muito maiores que o restante do país.

As investigações do Ministério Público Federal apontaram um suposto esquema que envolvia empresas fabricantes e revendedoras dos aparelhos, com o pagamento das propinas aos médicos.

A UFU informou que a comissão da universidade que apurava o caso, por meio de um processo administrativo concluiu pela demissão dos médicos. As portarias referentes às demissões foram publicadas no diário oficial da união hoje e já estão em vigor. Os médicos ainda respondem na esfera criminal na justiça federal por suspeita de peculato, corrupção passiva e formação de quadrilha.

 

Ao vivo