24 de julho de 2017 - 17:33

Justiça abre ação para investigar fraude milionária no Carf

Atuação teria feito com que o Fisco deixasse de recolher R$ 509 mi
Por Lorena Silva • Atualizado há 3 meses

A Justiça Federal abriu hoje (24), uma ação penal contra 11 pessoas por corrupção na Receita Federal e no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, o Carf, órgão que julga as apelações contra multas aplicadas pelo Fisco.

O grupo é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de envolvimento em esquema pagamento de propina para livrar o Bank Boston de autuações milionárias. A instituição foi vendida em 2006.

Entre os réus no processo estão o ex-diretor jurídico do Bank Boston Walcris Rosito, o auditor da Receita Eduardo Cerqueira Leite e os ex-conselheiros do Carf José Ricardo da Silva, Valmir Sandri e Paulo Cortez. Além de corrupção, os implicados vão responder por gestão fraudulenta, lavagem de dinheiro, apropriação de dinheiro de instituição financeira e organização criminosa.

Na ação, os procuradores do caso, investigado na Operação Zelotes, pedem que os citados também sejam condenados a pagar uma indenização de R$ 100 milhões por “danos morais coletivos”.

A suposta atuação criminosa na Receita e no Carf teria feito com que o Fisco deixasse de recolher R$ 509 milhões.

 

Ao vivo