13 de julho de 2017 - 09:40

CCZ intensifica ação em combate a leishmaniose

Novo monitoramento ocorre em novas áreas do setor Oeste da cidade
Por Fernando Souza • Atualizado há 3 meses

As equipes do laboratório de Entomologia do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) têm intensificado o trabalho realizado permanentemente na cidade para verificar se há animais infectados pela leishmaniose visceral, principalmente em novas localidades de Uberlândia. O mosquito palha, que é menor que um pernilongo, é o vetor responsável por transmitir a doença e, por isso, é necessário mantê-lo bem longe de casa e dos bichos de estimação.

Como o inseto deposita os ovos em lugares úmidos e ricos em matéria orgânica que são restos de folhas, frutas apodrecidas e fezes, pode se reproduzir com facilidade e contaminar os animais domésticos. Os principais sintomas da leishmaniose são queda de pêlos, crescimento acentuado das unhas, feridas no focinho e orelhas, emagrecimento, fraqueza e lacrimejamento.

Neste ano, as equipes visitaram animais nos os bairros Aclimação, Morada dos Pássaros, Ipanema, Mansões Aeroporto e Custódio Pereira que são regiões que apresentaram sinais do vetor. Agora, o CCZ faz o monitoramento de novas áreas da cidade, como Jardim Célia, Monte Hebron, Residencial Pequis e outros bairros próximos no setor Oeste da cidade.

Ao vivo