06 de Março de 2018 - 18:46

TJMG bloqueia bens do vereador Silésio Miranda

Bloqueio tem caráter preventivo em processo que envolve outras sete pessoas.
Por Flávio Max • Atualizado há 5 meses

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), decidiu bloquear preventivamente os bens do vereador Silésio Miranda (PT), e de mais sete pessoas suspeitas de fraudar um contrato com o Instituto de Previdência Municipal de Uberlândia (Ipremu).

Segundo denúncia do Ministério Público, eles são suspeitos dos crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. O bloqueio de bens foi determinado em até R$ 386 mil, que seria o valor do prejuízo causado pelo grupo ao Ipremu.

Em maio do ano passado, os promotores de Justiça recolheram com autorização judicial computadores e documentos na casa e no gabinete do vereador e também nas casas dos outros envolvidos. A investigação apontou fraude em um contrato firmado pelo Ipremu, com uma locadora de veículos que supostamente seria do vereador.

O processo ainda aguarda sentença do juiz de Uberlândia. Na sessão da Câmara Municipal, na manhã de hoje (06), o vereador se manifestou na tribuna. Silésio negou as acusações e disse que vai ‘responder à Justiça’ e ‘não tem nada a esconder’.

 

Ao vivo