19 de Março de 2018 - 19:00

Jungmann corrige informação sobre munição usada no caso Marielle

Ministro havia dito que munição foi roubada de uma agência dos Correios na Paraíba.
Por Flávio Max • Atualizado há 4 meses

O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, corrigiu informação fornecida à imprensa na sexta-feira (16), sobre a munição encontrada no local do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco e de seu motorista Anderson Pedro Gomes.

Jungmann havia dito que a munição de um lote comprado pela Polícia Federal (PF),  em 2006, teria sido roubada de uma agência dos Correios na Paraíba.

Em nota divulgada hoje (19), a assessoria de comunicação do ministério corrigiu a informação e disse que cápsulas do mesmo lote foram encontrados na agência do município de Serra Branca, na Paraíba (PB), após um arrombamento seguido de explosão ocorrido em 24 de julho de 2017.

Nessa nova versão, o ministério explica que o material não foi furtado, mas, sim, utilizado pelo grupo criminoso que realizou o roubo à agência.

 

Ao vivo