11 de junho de 2018 - 17:39

Funcionários da Eletrobras fazem greve contra privatização

Segundo a Associação dos Empregados da Eletrobras, a privatização deve gerar demissões em massa nas empresas do sistema, além de precarização do trabalho e dos serviços prestados.
Por Flávio Max • Atualizado há 4 meses

Divulgação

Funcionários de todas as empresas do Sistema Eletrobras iniciaram hoje (11), uma paralisação de 72 horas em todo o país contra a privatização da companhia. Eles também pedem a saída do presidente da estatal, Wilson Ferreira Junior.

A Confederação Nacional dos Urbanitários e da Associação dos Empregados da Eletrobras, declarou que a greve tem a adesão de 90% dos funcionários, apesar de decisão judicial do Tribunal Superior do Trabalho que determinou que 75% dos funcionários continuem trabalhando.

A confederação considera que a privatização deve trazer reajustes na conta de luz, gerar demissões em massa nas empresas do sistema, além de precarização do trabalho e dos serviços prestados.

A Eletrobras informou, por meio de nota, que não dispõe de recursos suficientes para realizar os investimentos necessários em geração e transmissão de energia elétrica no país e, portanto, a capitalização da companhia tem por objetivo garantir a sua sustentabilidade.

Ao vivo