04 de Maio de 2018 - 18:04

Marco Aurélio Mello estende quebra de sigilo fiscal de Aécio Neves

Senador se tornou réu recentemente por suspeita de recebimento de propina de R$ 2 milhões da empresa JBS.
Por Flávio Max • Atualizado há 2 meses

Reprodução - AFP

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou ontem (03), a quebra de sigilo fiscal de todo o ano de 2017 do senador Aécio Neves (PSDB-MG). A decisão, atende a um novo pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

A PGR já havia solicitado a quebra do sigilo bancário do senador de janeiro de 2014 à maio de 2017, mas a Receita Federal afirmou que não é possível fornecer informações referentes à apenas alguns meses, já que os registros são anuais. A procuradoria fez novo pedido com a intenção de rastrear a origem e o destino de recursos supostamente ilícitos relacionados a Operação Patmos.

Aécio e os outros investigados pela Patmos se tornaram réus recentemente por suspeita de recebimento de propina de R$ 2 milhões da empresa JBS.

De acordo com a delação premiada dos empresários Ricardo Saud e Joesley Batista, os valores chegariam a 60 milhões e serviam para a suposta compra de partidos que apoiariam o tucano nas eleições de 2014.

Ao vivo