12 de julho de 2017 - 10:03

Reforma Trabalhista é aprovada no Senado

Senadoras fizeram protesto contra retrocessos na proposta de Reforma Trabalhista
Por Fernando Souza • Atualizado há 2 meses

Foram 50 votos favoráveis, 26 votos contrários e uma abstenção. Desta foi houve aprovação no Plenário do Senado o texto-base do PLC 38/2017, que trata da Reforma Trabalhista. Agora os senadores seguem com apreciação dos destaques à matéria. Depois de dar um verdadeiro ultimato no início da noite de ontem,dia 11, às senadoras que ocuparam por todo o dia a Mesa Diretora do Senado, o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE) retomou a cadeira para dar início à votação da reforma trabalhista.

As senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR), Fátima Bezerra (PT-RN), Ângela Portela (PT-ES), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Lídice de Mata (PSB-BA), Regina Sousa (PT-PI) e Kátia Abreu (PMDB-TO) ocuparam a Mesa Diretora e fizeram protesto contra retrocessos na proposta de Reforma Trabalhista que é proposto pelo governo de Michel Temer.

Principalmente em pontos que tratam de insalubridade no trabalho em relação a mulheres grávidas. A sessão havia sido aberta pontualmente às 11h apenas por senadores que fazem parte da oposição na Casa e que se revezavam na tribuna com discursos contrários à proposta.

A senadora Fátima Bezerra (PT – RN), que conduzia os trabalhos, se negou a dar o assento da presidência da sessão a Eunício. Logo depois, o presidente do Senado suspendeu a sessão. Ao deixar o plenário, Eunício disse que a votação será retomada “quando a ditadura permitir”.

Há proteção da tropa de choque da Polícia Militar de Brasília e o acesso está restrito a parlamentares no prédio do Senado somente para pessoas credenciadas. Sob protesto da oposição, o acesso às galerias não foi liberado a visitantes.

 

Ao vivo