07 de Março de 2018 - 21:14

Donos de postos são acusados de ameaçar concorrentes para aumento de gasolina em Uberlândia

Procon Estadual cassou licenças de funcionamento e aplicou multas aos proprietários.
Por Lorena Silva • Atualizado há 4 meses

A Promotoria de Justiça de Defesa do Cidadão (Procon/MG), cassou as licenças de funcionamento de cinco postos de combustíveis de Uberlândia. A denúncia aponta que os donos dos comércios teriam ameaçado outros dois postos da cidade para aumentar o preço da gasolina comercializada. Três empresários, um detetive da Polícia Civil, e o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo (MinasPetro) também foram multados pelo órgão.

Conforme a denúncia, no ano de 2009, dois postos de combustíveis que são operados por hipermercados, teriam recebido as ameaças de um diretor do MinasPetro acompanhado de um policial civil, que seria genro dele. Os dois, procuraram os gerentes das empresas com objetivo de fazer com que eles aumentassem o preço dos combustíveis. O sindicato dos empresários também teria orquestrado uma manifestação ilegítima de clientes que adquiriam pequenos volumes de gasolina e pagavam com notas de R$ 100 para dificultar o fluxo do caixa.

Em 2016 um inquérito foi aberto pela Polícia Civil e os donos dos postos foram indiciados. O Procon/MG também abriu uma investigação e realizou interceptações telefônicas que, de acordo com o promotor de justiça Fernando Martins, evidenciaram as infrações. As multas aplicadas pelo Ministério Público somam mais de R$ 71 mil e os postos tiveram as licenças de funcionamento cassadas. A decisão é administrativa e cabe recurso na Junta Recursal do Procon/MG, em Belo Horizonte. O MinasPetro foi procurado mas ainda não se manifestou sobre o assunto.

Ao vivo