20 de julho de 2017 - 18:54

Após aumento de impostos, gasolina já é encontrada mais cara

A elevação ocorreu nas alíquotas de Pis/Cofins sobre combustíveis
Por Lorena Silva • Atualizado há 4 semanas

O presidente Michel Temer afirmou hoje (20) que o Brasil não parou apesar da crise e que seguirá crescendo, contrariando o que o presidente chamou de “arautos do catastrofismo” que dizem que o país está estagnado.

Em cerimônia para anúncio de recursos na área de odontologia, Michel Temer disse que os investimentos são mais uma prova de que o Brasil não parou.

Apesar do discurso do presidente, o governo prepara um aumento de impostos e mais um contingenciamento de recursos do orçamento. Tudo para cumprir a meta fiscal deste ano, que é de déficit primário de 139 bilhões.

A elevação vai acontecer nas alíquotas de Pis/Cofins sobre combustíveis, o que deve gerar receitas extras de 11 bilhões de reais, em meio aos fracos sinais de recuperação da economia após a forte crise política que atingiu o governo do presidente Michel Temer.

A alíquota sobe de cerca de R$ 0,38 para R$ 0,79 para o litro da gasolina e de R$ 0,24 para R$ 0,46 para o diesel nas refinarias. Para o litro do etanol, a alíquota passará de R$ 0,12 para R$ 0,13 para o produtor.

Para o distribuidor, a alíquota, atualmente zerada, aumentará para R$ 0,19. A medida entra em vigor imediatamente por meio de decreto publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União.

Outros 5 bilhões de reais devem ser contingenciados pelo governos neste ano. Segundo a agência Reuters, a definição sobre o tamanho do novo congelamento se deu após reunião nesta tarde no Palácio do Planalto, da qual participaram o presidente Michel Temer e os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira.

Em Uberlândia, hoje (21), a gasolina já é encontrada à R$4,29 e o etanol à quase R$3,00.

 

 

Ao vivo