ao vivo
Rádio Educadora 90.9 FM

/ Coluna Alexandre

A maldade e a ignorância

O fogo consome milhares de hectares do parque nacional que é patrimônio...

Por Alexandre Garcia (Educadora 90.9)
25/10/2017 14h04

            O fogo consome milhares de hectares do parque nacional que é patrimônio natural da humanidade, a Chapada dos Veadeiros, cerca de 200 quilômetros ao norte de Brasília. O mais chocante é o assassinato de milhares de animais das espécies que habitam o cerrado. Onças, lobos-guarás, veados, tatus, cobras, lagartos e aves, como a ema, pássaros - 50 variedades raras da fauna ou com risco de extinção - e, o que é pior, sem chance para os filhotes. Vi fotos de animais mortos pelo fogo, de pássaros a cavalos - uma tragédia.
            O coordenador do IBAMA para combate a incêndio confirma o que eu sempre disse: a origem do incêndio tem nome: é o homem. A mão criminosa de alguém que começou o fogo na estação seca e quente. Pode não ter feito por maldade, com a intenção de destruir e matar. Mas fez. Fez por ignorância, mas matou e destruiu. Por isso digo que a ignorância é o maior dos males, porque ela é a maior causadora de destruição e morte. Mais que a destruição e morte praticadas por maldade. 
            Vejam no trânsito: os que trafegam com aquele farol auxiliar aceso. São as luzes que ficam abaixo dos faróis e só têm um facho, de luz alta e ofuscante, que serve para identificar veículo perdido na neblina. Ofuscam até quem estiver na janela do sexto andar. Ofuscam quem vem atrás, porque acendem mais  luz brilhante pela traseira. E trafegam com isso nas estradas sem nevoeiro e nas cidades, ofuscando todos os demais. E há os que trafegam de luzes apagadas, porque estão enxergando a via e deixam de sinalizar seu veículo para os outros; se tornam fantasmas. Fazem isso por maldade, com a intenção de ofuscar os outros e causar acidentes? Não. Fazem por ignorância.
            Vejam na política: reclamam dos poderes que a Constituição deu à Justiça, aos deputados e senadores, ao presidente da República. Mas não se importaram com isso ao eleger seus constituintes. Importaram-se mais com o futebol. Reclamam dos corruptos na Câmara e no Senado, mas todos que lá estão para lá foram mandados pelo voto de cada um. Foi por maldade, que escolhemos constituintes que fizeram uma constituição que beneficia o criminoso, o bandido menor-de-idade? Foi por maldade que mandamos corruptos para a Câmara e o Senado? Não. Foi por ignorância.
            Há poucos dias um aluno de 14 anos ateou fogo numa escola estadual no Acre, porque o professor lhe chamara a atenção por chegar atrasado. Reagiu porque estão retirando da escola a disciplina e a autoridade do professor. Um episódio simbólico: a escola, que seria o antídoto para a ignorância, é queimada pelo atraso. A ignorância quer permanecer, porque o conhecimento liberta. A ignorância escraviza e consegue produzir mais mal, com o “foi-sem-querer, eu-não-sabia”, que o mal em si, proposital.